Sexta, 12 de Julho de 2024

Os analistas de Relações Internacionais na promoção da inovação, ambientes regulatórios, estabelecimento de parcerias e acordos entre nações

O Analista de Relações Internacionais é um dos profissionais mais desejados pelas organizações atualmente.

24/03/2024 às 14h55 Atualizada em 24/03/2024 às 15h10
Por: Anderson Soares
Compartilhe:
A carreira de Relações Institucionais está em alta.
A carreira de Relações Institucionais está em alta.

Em meio a tantas carreiras que têm sido descartadas pelas perspectivas no avanço da inteligência artificial, um profissional tem sido cada vez mais desejado pelas grandes companhias e pelos governos no Brasil e no mundo: o Analista de Relações Internacionais.

Os analistas de Relações Internacionais desempenham um papel essencial em momentos de mudanças rápidas e aceleradas, como o que estamos vivendo atualmente, fornecendo análises especializadas, insights estratégicos e orientação política para enfrentar os desafios e aproveitar as oportunidades emergentes no cenário global.

No aspecto da Inovação, eles acompanham e analisam as tendências globais em ciência e tecnologia, identificando oportunidades e desafios para os países; ajudam a promover a colaboração em pesquisa e desenvolvimento entre nações, facilitando o intercâmbio de conhecimentos, tecnologias e recursos humanos; ampliam estudos de ciência política e políticas públicas de inovação em diferentes países e regiões, oferecendo insights sobre abordagens eficazes e lições aprendidas que possam ser aplicadas em outros contextos.

Para ambientes regulatórios, que estão sendo muito estudados e alvo de articulações complexas em diversos países, esses profissionais monitoram e avaliam as regulamentações e políticas, identificando áreas onde melhorias podem ser feitas para promover um ambiente regulatório mais eficiente e transparente. Além disso, ajudam a facilitar a harmonização regulatória e a cooperação em padrões e normas internacionais, promovendo o comércio e os investimentos internacionais. Podem ainda fornecer recomendações sobre como os países podem ajustar suas políticas e regulamentações para atrair investimentos estrangeiros e promover a inovação e o desenvolvimento econômico sustentável.

Tratando de parcerias e acordos internacionais, que são alvos das articulações desses profissionais, eles identificam e avaliam oportunidades para parcerias e acordos bilaterais e multilaterais em diversas áreas, como indústria, comércio, segurança, saúde, meio ambiente e cooperação técnica. Eles também ajudam a facilitar as negociações e o estabelecimento de acordos entre nações, fornecendo análises sobre interesses, objetivos e políticas externas dos países envolvidos; além de avaliar a implementação e o impacto de parcerias e acordos internacionais para os países participantes dessas negociações.

O trabalho desses profissionais é cada vez mais desejado e também é cada vez mais complexo, o que dificulta a substituição deles pela inteligência artificial. Somente um humano - e muito bem capacitado - é capaz de desenvolver essas atividades com desenvoltura e maestria, como é o desejo das empresas, organizações, Estados e nações, que precisam cada vez mais navegar de forma tranquila por esses mares vultuosos da diplomacia e cooperação internacional.

Em se tratando de Ciência, Tecnologia, Inovação e Sustentabilidade, que é onde está o cerne de todo o desenvolvimento econômico e social do mundo na atualidade, o profissional de Relações Internacionais é indispensável, abrindo assim um leque muito grande de oportunidades para as pessoas que estão se especializando nesta área.

Muitos dos profissionais com estas habilidades que têm buscado a Inovação, atuando como profissionais articuladores de transferência de conhecimento da academia para as indústrias - principalmente em países mais desenvolvidos. Outros buscam a Diplomacia, porém poucos conseguem a aprovação no concurso da carreira diplomática. Mas um ótimo caminho é também empreender na área, diversificando a linha de atuação como uma empresa de consultoria ou assessoria especializada promovendo articulações, negociações e acordos nas relações internacionais, seja para empresas, organizações, instituições privadas e públicas, ou mesmo Governos, etc.

 

Este artigo foi publicado originalmente no perfil do Autor no LinkedIn.

 

* Michael Anderson Rodrigues Soares é Relações Institucionais e Governamentais (RIG) na Fundação Fadex; empreendedor há mais de 20 anos como fundador de diversos negócios digitais com clientes em todo o Brasil e outros Países; foi gestor de projetos para negócios inovadores do Sebrae durante 3 anos; atualmente cursando Mestrado em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação (PROFNIT) pela Universidade Federal do Piauí; e uma Pós-graduação em Ciência de Dados e Inteligência Articial pela PUC-RS.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários